Tag: cloud


O Ano da Nuvem

*Por Rodrigo Aliaga / Imagem: Depositphotos/buchachon_photo

O ano passado focou na importância da Disponibilidade – tanto de serviços como de dados. Dos desastres no censo australiano até um número de paradas em sistemas de alto nível no mundo todo, o público começou a entender a importância de ter acesso sob demanda a informações precisas e serviços críticos.

À medida que avançamos para 2017, os negócios precisarão cada vez mais abraçar as expectativas dos clientes e garantir a entrega perfeita de serviços. Da perspectiva da TI, existem quatro tendências importantes que os negócios precisam abraçar para exceder as expectativas de clientes e parceiros:

  1. Linhas indefinidas entre nuvens pública, privada e híbrida: Há alguns anos, a ideia de estender a infraestrutura do data center para uma nuvem hiperpública poderia ter sido um esforço fútil de conectividade, segurança e um misto de surpresas desconhecidas. Entretanto, agora o mercado está pronto para aceitar a adoção de arquiteturas de nuvem híbrida de ambos os lados da arquitetura e da aplicação. Isso já está acontecendo e uma adoção muito maior está prestes a acontecer, conforme as empresas buscam melhorar a agilidade e confiabilidade operacional, garantindo que dados e aplicações estejam disponíveis a qualquer hora, de qualquer lugar.
  2. A explosão da infraestrutura definida por software. Não é segredo que o data center definido por software tem sido uma tendência enorme recentemente – graças, em parte, à popularidade da virtualização. Rodar aplicativos em um ambiente virtualizado traz muitas vantagens para as empresas ajudarem a construir eficiências, prover confiabilidade e uma infraestrutura flexível de TI para facilitar o gerenciamento e liberar tempo e recursos. Conforme os negócios evoluem, espere ver mais demandas para fornecedores proverem software e serviços para atender às expectativas da nova geração de inovadores.
  3. Mantenha-se um passo à frente dos hackers. Ameaças de hackers, assim como a proliferação de botnets e malware (especificamente ransomware) irão manter os gerentes de TI acordados à noite por todo o ano de 2017. Vimos enormes fardos colocados sobre as empresas que buscaram manter a disponibilidade durante 2016, com grandes ataques em serviços de DNS, o que resultou em grandes empresas e serviços inacessíveis durante tempos críticos. Enquanto mais negócios buscam prover serviços digitais, os hackers estarão bem próximos deles. Mais do que nunca, os negócios precisarão colocar mais ênfase em segurança de dados ponta a ponta, backup e recuperação para garantir que seus serviços se mantenham disponíveis para parceiros e clientes.
  4. Mais dados, mais possibilidades. O data center de hoje, e definitivamente o de amanhã, irá cada vez mais ter mais dados – ambos históricos e de missão crítica. Seja a entrada de dados da Internet das Coisas, sistemas de negócio mais complexos ou quantidades crescentes de conjuntos de dados existentes, a conclusão é óbvia: o dilúvio de dados vai continuar. Do lado positivo, isso irá trazer benefícios aos negócios que buscam alavancar análises avançadas para aperfeiçoar suas operações existentes e prover novos serviços aos clientes. Conforme o calendário se aproxima de 2017, os negócios serão capazes de ganhar mais conhecimento dos dados que coletaram; ajudando a formar decisões e informar estratégias de negócio. Entretanto, essas capacidades analíticas só irão dar frutos se os dados estiverem disponíveis e robustos. Para negócios que se apoiam em analíticas avançadas para conduzir operações, qualquer parada no sistema não apenas para a capacidade de negociar com clientes e fornecedores, mas também bloqueia a tomada de decisões informada. Os negócios precisarão direcionar sua atenção para manter a disponibilidade de sistemas de missão crítica que sustentam sua capacidade analítica.

Previsões específicas são sempre desafiadoras, mas o panorama da tecnologia hoje fornece possibilidades infinitas para organizações proverem grandes serviços baseados no data center e na informação que o data center hospeda e entrega. A expectativa é que os dados estejam disponíveis sob demanda. Foram-se os dias em que paradas no sistema eram consideradas uma parte “normal” de fazer negócios. Em 2017, o data center tomará o centro do palco e servirá como uma peça crítica da infraestrutura tanto para armazenar informações como para fornecer serviços a clientes, funcionários e parceiros. Ter um plano para garantir a disponibilidade será vital para manter as operações de negócio, atender às expectativas e excedê-las.

* Rodrigo Aliaga é gerente de canais da Veeam no Brasil


Por Bill Young* 

Agora que as empresas adotam cada vez mais a nuvem, os provedores de cloud estão se proliferando. Com tantas opções, pode ser difícil descobrir qual o tipo de provedor deve ser escolhido.

Para começar, pense um pouco sobre os diferentes serviços e arquiteturas de cloud e veja em que aspectos eles podem funcionar em seus negócios. Pode ser que você precise da ajuda de especialistas externos para avaliar suas necessidades específicas de TI e aplicativos ou para decidir quais apps de negócios e serviços de TI são mais aplicáveis à cloud.

Assim que você entender a arquitetura de nuvem e o tipo de serviço que melhor atende às suas necessidades, é preciso que seus provedores de cloud respondam objetivamente algumas perguntas bem difíceis. Para começar, aqui temos algumas delas:

1. Onde meus dados ficarão localizados? Você precisa saber se seus dados estarão em um local seguro e entender exatamente onde eles serão mantidos. As organizações regulamentadas também devem saber se seus dados serão armazenados localmente, permanecendo onde foram criados. Para equilibrar os riscos, você também pode deixar sua informação armazenada com um provedor de nuvem que seja geograficamente remoto de seu data center.

2. Quanto custará para colocar e remover dados da cloud? Isso pode ser algo complexo devido às políticas de preços continuamente crescentes. Também podem existir custos menos óbvios. Por exemplo, em alguns casos, mover dados para a cloud é algo extremamente econômico, mas tentar removê-los de lá – para devolvê-los às suas instalações ou movê-los para outra nuvem – pode ter alto custo.

3. O provedor é um revendedor ou tem equipamento próprio? Às vezes, os provedores de cloud contam com outros fornecedores para prestar seus serviços. Eles hospedam os próprios equipamentos ou os equipamentos são hospedados em outro lugar? Se forem hospedados em outro lugar, é fundamental entender quem é o principal responsável pelo tempo de inatividade, pelo atendimento e pelos acordos de nível de serviço (SLAs) de suporte.

4. Quais são as especificações de seu data center? Converse detalhadamente com os provedores em potencial sobre as redundâncias e medidas de segurança física e eletrônica que eles possuem e verifique se eles têm seguro em caso de interrupção ou perda de dados. Por incrível que pareça, estima-se que 95% dos provedores de cloud não são segurados.

5. Quanto de largura de banda da rede é necessário para que a solução tenha um bom desempenho? A baixa largura de banda e a alta latência podem interromper o desempenho da cloud. Informe-se sobre a largura necessária por usuário e certifique-se de que suas interconexões podem oferece-la de modo consistente e em todas as regiões geográficas que seu negócio exige. Uma das melhores formas de garantir isso é hospedando sua própria infraestrutura de TI com um provedor de colocation que também hospede sua opção de serviços de cloud e forneça conexões diretas a esses serviços.

6. O provedor tem “presença” em seu setor de negócios? Afinal, a nuvem não tem a ver apenas com tecnologia. Ela está relacionada ao crescimento e enriquecimento dos negócios. A cloud ajuda você a atingir suas metas de negócios caso seu provedor tenha insights sobre seu setor e hospede um ecossistema de outras empresas como a sua – com potencial para tornarem-se futuros parceiros e clientes.

7. Qual é a melhor forma de me preparar para integrar os serviços de cloud à minha infraestrutura de TI? Essa é a pergunta fundamental. Peça para o seu provedor de cloud descrever todas as modificações que você precisará fazer em suas aplicações, sua rede, seu armazenamento de dados ou qualquer outro aspecto de sua infraestrutura de TI antes de contratá-lo.

8. O que pode dar errado durante a instalação ou a migração? Uma resposta objetiva não só ajudará você a saber o que deve procurar, mas também a determinar a honestidade, competência e lições anteriores aprendidas do provedor.

*Bill Young é diretor de Serviços Profissionais da Equinix.